Fonte: Pinterest

Fonte: Pinterest

Ainda não leu a parte 1? Clique aqui.

Princípio #3: Inculque convicções instigando a verdade

Provérbios 23:22-23 diz: “Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer. Compra a verdade e não a vendas; compra a sabedoria, a instrução e o entendimento.” Salomão pega emprestado exemplos do mercado; pais estão vendendo produtos aos seus filhos. Ele insta os pais a venderem mercadorias preciosas a seus filhos, palavras de verdade, sabedoria, instrução e entendimento. Ele impele seus filhos a comprar tudo o que puderem e agarrar-se a essas coisas para ter uma vida prazerosa. Em outras palavras, pais – especialmente pais que são chamados a ser professores “profetas” em suas casas – devem ensinar a verdade a seus filhos, para que eles cresçam em entendimento e, pela graça de Deus, em sabedoria. Aqui estão seis ajudas aos pais para serem professores profetas e instigadores da verdade em suas crianças:

1. Ensine como um mordomo outorgado por Deus. Parte do nosso zelo em instigar a verdade nas nossas crianças vem de saber que Deus nos ordenou a ensiná-las. Efésios 6:4 diz, “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” Nós dizemos a eles, “crianças, Deus me deu a tarefa de ensiná-las. Eu devo obedecer à sua ordenança.” Igrejas e escolas cristãs podem auxiliar no nosso trabalho, mas a responsabilidade primária de ensinar os filhos da aliança pertence aos pais e às mães, principalmente aos pais. Eles não deveriam delegar essa responsabilidade a outros professores e achar que o trabalho deles está acabado.

2. Ensine por meio da adoração em família. Adoração diária em família deve ser o contexto básico para o exercício da nossa obrigação profética para com nossos filhos. Ensine seus filhos “todos os desígnio de Deus”, como Paulo afirma que fez com os Efésios (At 20:17-27). O seu lar deveria ser uma pequena igreja ou seminário, onde você está para servir como profeta, ensinando seus filhos a verdade preciosa de Deus – dirigindo-se à mente, à consciência, ao coração e à vontade de cada um deles. Ensine histórias e doutrinas bíblicas aos seus filhos, aplicando essas histórias e doutrinas à sua vida cotidiana, para o seu desenvolvimento espiritual, moral e psicológico.

Usando um guia como o Reformation Heritage KJV Study Bible, ensine suas crianças sobre cada livro da Bíblia, mostrando-lhes seus assuntos principais e como isso nos leva a Jesus Cristo como pecadores necessitados. Ensine os principais tópicos de cada capítulo que você lê. Você pode usar o “Thoughts for Family Worship” no final de cada capítulo na Bíblia de estudo mencionada. Ajude-os a memorizar os 10 Mandamentos, a Oração do Senhor e o Credo dos Apóstolos. Descreva quem é Deus e como ele é. Ensine a origem, extensão e as consequências do pecado. Ensine sobre a necessidade do novo nascimento e do arrependimento pessoal e da fé em Cristo para sermos salvos. Ensine-os sobre o sangue expiatório de Cristo e seu poder eficaz. Apresente tudo sobre Cristo a seus filhos: sua pessoa e naturezas, seu ofício e estado e sua beleza e total suficiência. Ensine sobre a lei moral e seus usos civil, evangélico e didático. Ensine sobre o chamado de Deus à santidade e como viver uma vida de gratidão. Coloque diante deles a realidade da morte, a seriedade do julgamento, a alegria do céu, os tormentos do inferno e a atemporalidade da eternidade.

Enquanto você ensina, seja claro no estilo e no pensamento. Seja simples e curto. Faça aplicações dedutivas e relevantes. Seja afetuoso como o pai em Provérbios. Achegue-se à vida de seus filhos, usando ilustrações apropriadas para sua idade e conceitos concretos. Reveja e simplifique sermões que você ouviu em família na igreja. Conecte as instruções bíblicas a eventos em curso na sua família, sociedade e nação tanto quanto for possível.2

3.Ensine com exemplos. Além de ser nosso profeta cabeça, Jesus era a Palavra Viva (Jo 1:1, 14). Ele revelou a Deus não apenas em suas palavras, mas também em sua vida. Seja como Paulo, que aconselhou Timóteo, seu filho amado no Senhor, “Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino, procedimento, propósito, fé, longanimidade, amor, perseverança, as minhas perseguições e os meus sofrimentos… De todas, entretanto, me livrou o Senhor.” (2 Tm 3:10-11). Nós estamos constantemente ensinando nossos filhos, quer saibamos ou não, porque eles estão lendo o livro das nossas vidas. Além da Bíblia, a nossa vida é o livro mais importante que nossas crianças lerão. No livro da nossa vida, eles verão o quanto é importante a nossa visão sobre Deus, se a adoração é um deleite ou uma obrigação, se o pecado é um mal terrível ou uma mera desobediência e se nós realmente estimamos nossa família ou se a vemos como um fardo.

4.Ensine compartilhando sua vida. Paulo fala abertamente sobre os seus problemas, aflições e fraquezas. Ele alardeava a sua fraqueza para que outros vissem o poder de Cristo nele e a suficiência da graça de Deus em todas as suas privações (2 Co 12:9-10). Ele abriu a sua vida para os outros a fim de que eles abrissem suas vidas a ele (2 Co 6:11-13). Felizes são as crianças que podem dizer aos seus amigos, “minha mãe e meu pai são muito legais; eu posso falar com eles sobre tudo.” Isso não significa que você age como um coleguinha, porque isso negaria a sua autoridade sobre eles como pais cristãos. Mas isso significa que você se esforça para tornar-se o confidente deles numa amizade que se intensifica tanto quanto amadurece. Jesus chamou seus discípulos de “amigos”, porque ele os amava o suficiente para morrer por eles e dividir com eles todo o conselho de Deus (Jo 15:13-15).

5.Ensine a maturidade como um todo. Lucas 2:52 nos diz que “crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens.” Cristo é nosso modelo de desenvolvimento infantil; ele nasceu um bebê, mas cresceu e tornou-se um adulto em todos os aspectos da sua humanidade. Além de treinar a mente e o coração de seus filhos para que, pela graça de Deus, eles cresçam e amadureçam servindo a Deus, treine-os também em graça social. Uma mente bem treinada desacompanhada de bons modos básicos ou cortesia é uma espada cega. Nossos filhos devem respeitar os mais velhos, ser bondosos com as pessoas e compassivos com os que são mais novos que eles. Se você esperar que seus filhos se comportem bem, mas não os ensinar etiqueta, você os está programando para o fracasso na sociedade. Além disso, dê a eles oportunidade de apreciar artes, literatura e boas músicas como dádivas da graça comum de Deus. Isso também os amadurecerá e engrandecerá suas vidas.

Treine seus filhos fisicamente também. Ensine que seus corpos são um presente de Deus, então eles devem respeitar sua saúde. Eles precisam de um determinado tempo de sono, uma alimentação saudável e exercícios. Ensine seus filhos os fatos da vida, discutindo abertamente sobre a sexualidade, sua excelência, o significado espiritual e os limites dados por Deus. Não deixe a educação de seus filhos para outras pessoas. Guie-os em questões como aparência pessoal, para que se vistam de forma modesta e atraente, mas não para trazer a atenção para eles.

6.Ensine com paixão. Ouvimos alguns pregadores proclamarem a palavra de Deus de um modo um tanto frio e mecânico. Considere como contraste o zelo do profeta Jeremias: “isso me foi no coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos; já desfaleço de sofrer e não posso mais” (Jr 20:9). O profeta não podia manter para si a palavra de Deus; ele tinha que passar adiante. Da mesma forma, Amós se sentiu compelido a falar quando Deus o mandou. Ele disse, “Rugiu o leão… Falou o SENHOR Deus, quem não profetizará?” (Am 3:8). Muitas vezes meu pai chorou enquanto nos ensinava as verdades de Deus. Era um ensino apaixonado. Meu pai estava nos trazendo a palavra de Deus não como uma informação seca e entediante, mas como a Palavra “viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes” (Hb 4:12), para instigar a verdade em nós. Ele frequentemente nos dizia, quando comunicava a verdade, “eu queria poder escrever isso com uma caneta de ferro em seus corações” – e com a ajuda do Espírito, ele escreveu! De igual modo, nós devemos ensinar nossos filhos com paixão.3

1. Tedd Tripp, no livro Shepherding A Child’s Heart (Wapwallopen, Pa.: Shepherd Press, 1995), 6.
2. Esse ponto foi resumido do livro Bringing the Gospel to Covenant Children (Grand Rapids: Reformation Heritage Books, 2010).
3. A maior parte dessa seção foi adaptada do livro “How Should Men Lead Their Families” (Grand Rapids: Reformation Heritage Books, 2014).

______________________

joel beeke*Esse artigo foi originalmente publicado na revista The Banner of Sovereign Grace Truth (Edição online de Julho-Agosto2016) , traduzido com permissão do autor.

**Dr. Joel Beeke é presidente e professor de teologia sistemática no Puritan Reformed Theological Seminary (EUA). É pastor da Heritage Netherlands Reformed Congregation, editor da Banner of Sovereign Grace Truth, diretor editorial de Reformation Heritage Books, presidente da Inheritance. Foi co-autor, escreveu ou editou mais de 50 livros, dentre os quais, “Vivendo para a Glória de Deus” e “Vencendo o Mundo”. Obteve seu Ph.D. em Teologia da Reforma e Pós-reforma no Westminster Theological Seminary. Ele é convidado freqüentemente para lecionar em seminários e pregar em conferências ao redor do mundo. Ele e sua esposa, Mary, foram abençoados com três filhos: Calvin, Esther e Lydia.

*** Tradução: Sara Mendonca