“Mamãe devia ter me ensinado a ser submissa – Parte 1” por Simone Quaresma

Se todas as mães cristãs ensinassem a seus filhos os princípios bíblicos da sujeição mútua, a vida adulta seria infinitamente mais fácil, os relacionamentos pessoais mais suaves e a nossa obediência a Deus menos dolorosa. Se as mães de meninas soubessem que, desenvolver nas filhas um coração obediente, traria bênçãos sobre a futura família delas, talvez o fizessem com maior afinco. O que eu quero dizer com isso? Que filhos criados segundo o padrão de Deus, de obediência e sujeição mútua, estão sendo treinados para serem crentes melhores no futuro, vivendo segundo a Palavra de Deus. Segundo João Calvino, “Deus de tal forma nos vinculou uns aos outros, que nenhuma pessoa deve desvencilhar-se da sujeição. E onde reina o amor, existe uma mútua servitude… como, porém, nada é mais oposto ao espírito humano do que a submissão recíproca, ele desperta nossa lembrança para o temor de Cristo, o único que pode domesticar nossa impetuosidade, para que não nos desvencilhemos do jugo, e subjuga nosso orgulho, para que não nos envergonhemos de servir ao próximo.” Quando uma mãe ensina seus filhos a se submeterem aos outros em amor, todos ganham: os filhos, a família, a Igreja e a sociedade. Mas, comentando o texto de Efésios 5, Calvino vai dizer que, além da sujeição mútua que deve haver entre os crentes (v. 21), existe – a partir do verso 22- certos tipos de sujeição específicas requeridas dos crentes: “Ele traz agora a lume os vários grupos; pois, além do universal vínculo de sujeição, alguns são mais estreitamente vinculados uns aos outros, segundo as suas respectivas VOCAÇÕES. A sociedade consiste de grupos,...

“Como criar seus filhos: ‘Dê-lhes graça'” por Foppe VanderZwaag

“Mas tendes chegado ao Monte Sião… E a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão…”- Hebreus 12:18-24 Se há uma coisa que eu gostaria de ter sabido sobre criar nossos filhos desde o inicio é como lhes dar graça. Durante os primeiros anos do nosso casamento, eu não era uma crente. Minha esposa e eu éramos cristãos por educação e profissão; eu ainda era professor de uma escola cristã e diretor durante vários anos. Mas na realidade eu era um moralista, e ensinei aos meus alunos e filhos dessa forma. Já que eu não compreendia que o caminho de Deus de acordo com o evangelho está no Senhor Jesus Cristo apenas, eu não podia viver isso ou ensinar as nossas crianças sobre isso. Então eu trouxe nossas crianças para o Monte Sinai ao invés do Monte Sião. Eu sabia que nós como pais e filhos não poderíamos ganhar o favor de Deus por nossas obras, mas ainda em muitas maneiras sutis nós prosseguimos nesse caminho. O principal problema em prosseguir nesse pensamento é que nós podemos ensinar tudo sobre o evangelho na teoria para nossas crianças, mas na pratica nós as ensinamos a “serem boas”. Quando a sua filha se comporta bem, você a elogia e diz a ela que ela tem “sido boa”. Por outro lado, quando seu filho não se comporta bem, nós o dizemos que ele não deveria ser “mau”. Não demora muito para as crianças compreenderem como elas pensam sobre os outros e sobre si mesmas. Todas as duas crianças necessitam de graça. A criança “má” precisa de graça para entender...

“Como Ser Uma Esposa Piedosa” por Mary Beeke

O plano perfeito de Deus para as famílias inclui a criação de homens e mulheres bem como a maneira que um deve se relacionar com o outro. Nós fomos criados perfeitos; infelizmente, o pecado alterou o plano. Mas Deus, em sua misericórdia, nos deu o casamento, uma jóia do Paraiso. O chamado do marido para amar, nutrir e se entregar pela sua noiva, como Cristo o fez pela Igreja, é complementado pelo chamado da esposa para respeitá-lo e se submeter a ele. Juntos ele formam um time. Ele é o cabeça da casa, provendo e protegendo. Ela está ao seu lado como eixo, parte central na casa. À medida que a cultura muda, os detalhes de como isso funciona pode mudar, mas o plano de Deus está além do tempo. Nós o desprezamos por nossa conta e risco, mas quando o seguimos seremos abençoados. Focando no papel da esposa piedosa, a primeira bênção vem quando nós nos submetemos aos planos de Deus com contentamento, confiando na Sua sabedoria, sendo firmes contra a insistência do feminismo em dizer que isso é degradante, escolhendo estar no centro da vontade de Deus e aguardando mais bênçãos. A esposa piedosa é abençoada quando ela ama a Deus acima de todas as coisas, e a Sua Palavra está escrita no seu coração e é demonstrada em sua vida. Ela luta contra o pecado que ainda habita dentro de si gastando tempo a sós com Deus em oração e leitura. Seu andar e falar são como luz sobre o monte e sal na terra. Caminhar com o Senhor a capacita a andar em harmonia com...

“Casamentos são construídos momento a momento” por Paul Tripp

Em What Did You Expect? Paul Tripp lembra aos leitores de que a reconciliação em um casamento é um estilo de vida, não apenas uma resposta a quando as coisas vão mal: Se você é um pecador casado a um pecador, então é muito perigoso permitir-se um descanso enquanto casal. Vocês simplesmente não viverão um dia juntos sem que algum ato de falta de consideração, interesse próprio, raiva, arrogância, autojustificação, amargura ou deslealdade surja em sua torpe cabeça. Frequentemente será benigno e brando, mas ainda estará lá. Se vocês desejam ter um casamento que vive em unidade, compreensão e amor, precisam ter uma abordagem “pequenos momentos” em seu casamento. Deus esboçou para nós uma vida que não caminha de momentos grandes e definidores para momentos grandes e definidores. Provavelmente, vocês se lembrarão de duas ou três situações que mudaram suas vidas, e que vocês tenham passado juntos. Todos os dias, deitamos pequenos tijolos na fundação do que nossa vida será. Os tijolos das palavras, das ações, das pequenas decisões, dos pequenos pensamentos e desejos menores – todos trabalham juntos para formar o edifício funcional que é o casamento. Portanto, você deve ver a si mesmo como um pedreiro matrimonial. Você está diariamente na tarefa de adicionar outra camada de tijolos, que determinará a forma de seu casamento nos dias, semanas e anos porvir. As coisas em um casamento vão mal progressivamente. As coisas tornam-se doces e belas progressivamente. O problema é que simplesmente não prestamos atenção e, por isso, nos permitimos a pensar, desejar, dizer e fazer coisas que não deveríamos. Aqui estão algumas questões úteis para se considerar: Você luta...

[Fica a Dica] “Mulher Piedosa – como preparar-se para servir melhor” por Simone Quaresma

Não deixe de conferir a excelente palestra feita por Simone Quaresma no Centro de Literatura Refomada no dia 02 de setembro de 2013.  O tema é importantíssimo: como devemos nos preparar para servirmos melhor ao Senhor. A palestra é dividia em três grandes pontos: a. A ESPOSA QUE PRECISO SER; b. A DONA DE CASA QUE PRECISO SER; c. A COMPANHEIRA QUE PRECISO SER Clique aqui para ouvir a palestra!   Segue o esboço fornecido pela palestrante: Precisamos reconhecer qual é o nosso chamado! Tito 2. 3-5 – sérias: reverentes – mestras do bem: que ensinam o que é bom – instruir: admoestar, exortar seriamente – sensatas: de mente sã, que freia os próprios desejos e impulsos – honestas: respeitáveis, castas, recatadas – donas de casa: que cuida, que vigia a casa, que mantém a casa e cuida dos afazeres do lar – bondosa: útil, agradável, amável, alegre, feliz – sujeita: que submete-se ao controle de alguém, que rende-se à admoestação ou ao conselho Quais os papéis que Deus ordenou para a mulher em sua Palavra? – precisamos conhecê-los para desempenhá-los devidamente! *Esposa, mãe e dona de casa, companheira. Vamos analisar cada uma destas áreas de atuação e o que se exige de nós? A ESPOSA QUE PRECISO SER: a. Aquela que é auxiliadora idônea, capaz – atue em conjunto com seu marido para o bom andamento dos planos familiares! – esteja atenta às suas necessidades e se disponha a ajudar! – seja uma ávida leitora da Palavra de Deus e de literaturas que enriqueçam a vida familiar! b. Aquela que é uma só carne com o marido. Gn 2.24 – seu...

“Preparando um ‘local seguro’ para o seu marido – Parte 2″ por Kimberly Wagner

Ainda não leu a parte 1? Leia AQUI. Se você tem acompanhado o blog, você deve ter percebido que tenho postado sobre formas de desenvolver a unidade e de cultivar a intimidade com o seu marido. Eu tenho usado o acróstico APPRECIATION. Hoje eu vou retomar com a letra “C”, para vocês que precisam de algum direcionamento em como confrontar o marido que se encontra preso a um comportamento pecaminoso. C – Comunique (fale) honestamente, com humildade Ao invés de expressar falsas palavras de afirmação, seja sincera na sua conversa com o seu marido. Se tem algum pecado que precisa ser abordado, não deixe que o seu marido continue em pecado ignorando ou acobertando a sua atitude, mas demonstre amor verdadeiro ao confrontá-lo de forma gentil e humilde. As Escrituras nos instruem a humildemente e em amor confrontar o pecado de um irmão – mesmo que esse crente seja o seu marido – como um irmão em Cristo (Gl 6:1-2; Mt 18:15-18). Busque primeiramente o Senhor. Gaste tempo em oração e na Palavra, pedindo a Deus direcionamento e um momento apropriado, antes de iniciar a conversa. Esteja certo de que o seu desejo de confrontá-lo tem como motivo a restauração espiritual do seu marido, e não de “ajeitar” as coisas para que elas fiquem mais do jeito que você gosta. Sonde o seu próprio coração e verifique se existem áreas de pecado que precisam ser confessadas a Deus e talvez ao seu marido (Mt. 7:5). Por mais difícil que seja, a fim de confrontar o seu marido, você precisará repassar a mesma graça e perdão que você recebeu (Ef. 4:31-32)....
Página 3 de 812345...Última »